quinta-feira, novembro 30, 2006

Fernão Capelo Gaivota

Era de manhã e o novo sol cintilava nas rugas de um mar calmo.
A dois quilómetros da costa, um barco de pesca acariciava a água.
Subitamente, os gritos do Bando da Alimentação relampejaram no ar e despertaram um bando de mil gaivotas, que se lançou precipitadamente na luta pelos pedacinhos de comida. Amanhecia um novo dia de trabalho.

Mas lá ao fundo, sozinho, longe do barco e da costa, Fernão Capelo Gaivota treinava.
A trinta metros da superfície azul brilhante, baixou os seus pés com membranas, levantou o bico e tentou a todo custo manter suas asas numa dolorosa curva.
A curva fazia com que voasse devagar, e então sua velocidade diminuiu até que o vento não fosse mais que um ligeiro sopro, e o oceano como que tivesse parado, abaixo dele.

Cerrou os olhos para se concentrar melhor, susteve a respiração e forçou...só…mais...um...centímetro...de...curva...Mas as penas levantaram-se em turbilhão, atrapalhou-se e caiu.

Como se sabe, as gaivotas nunca se atrapalham, nunca caem.
Atrapalhar-se no ar é para elas desgraça e desonra.

Mas Fernão Capelo Gaivota - sem se envergonhar, abrindo outra vez as asas naquela trémula e difícil curva, parando, parando ... e atrapalhando-se outra vez! - não era um pássaro vulgar.

A maior parte das gaivotas não se preocupa em aprender mais do que os simples factos do voo - como ir da costa à comida e voltar.
Para a maioria, o importante não é voar, mas comer.

Para esta gaivota, contudo, o importante não era comer, mas voar.
Antes de tudo o mais, Fernão Capelo Gaivota adorava voar...

in "Fernão Capelo Gaivota" de Richard Bach

3 comentários:

Japonesa disse...

e por não ser igual às outras gaivotas, para além de Gaivota, ela tinha também um nome próprio - Fernão Capelo. seria portanto, uma gaivota diferente... claro que haverá sempre quem diga que esta será uma gaivota com defeitos... imperfeita... ou então perfeita demais para ser gaivota... (cada cabeça, sua sentença!)

beijos WildMindMan (gosto muito de te aprender) :-)****

WildMindMan disse...

não sei se já leste o livro...

eu li-o há já vários anos e cada vez que me deparo com alguns excertos, apetece-me sempre relê-lo.

retrata, de forma exemplar, na minha opinião, as várias vertentes da questão em "discussão" :)

jinhos voadores para ti

:))********

Japonesa disse...

possivelmente li este livro... é mais um daqueles pormenores de que já não me lembro. mas se calhar lerei um dia, de novo, ou pela primeira vez (o que para mim será exactamente a mesma coisa)

:-)**