quinta-feira, novembro 02, 2006

especial...



Hoje apetecia-me algo diferente. Apetecia-me ter um dia especial. Mas um dia que nem fosse fim de semana, nem de aniversário, nem de Natal... um dia como todos os outros, mas especial. Seria ainda mais especial por ser um dia comum e se ter tornado especial. Quase poderia ser perfeito! Assim eu poderia imaginar que se um ordinary day se pode transformar num dia especialmente especial sem que nada o fizesse prever – exactamente por ser um dia vulgar! - isso poderia fazer com que outros dias igualmente vulgares pudessem de vez em quando tornar-se invulgarmente especiais.

Mas não poderiam ser muitos, porque senão passaria a ser vulgar todos os dias serem especiais e, por isso, deixariam de ser especiais para passarem a ser vulgares.

Gostava que a minha idade fosse medida pelo número de dias invulgarmente especiais... e gostaria de começar já hoje. Só que me esqueci de fazer um esforço...

Nós queremos tantas coisas não é? Mas normalmente esperamos que elas nos caiam do céu... como esta Aurora Borealis. Mas e então não é por isso que as coisas se tornam tão especiais? É ver acontecer algo que dificilmente poderá acontecer, mas que aconteceu sem que nada o fizesse prever... e logo num dia em que inesperadamente isso seria tão invulgar...

ahahaha adoro coisas especialmente especiais. Mas ainda não encontrei nenhuma!!!!

4 comentários:

um_2 disse...

´felicidade se acha em horinhas de descuido´ maria bethania

:-)

WildMindMan disse...

"It's easier to go down a hill than up it, but the view is much better at the top."

wild jinhos para ti :)**

Japonesa disse...

um_2 é... a felicidade... :-)***

é verdade WildMindMan. lá de cima deixamos de olhar os pormenores e vemos apenas a imensidão do que o conjunto do todo nos proporciona.

mas às vezes tb são as pequeninas coisas que retiramos do conjunto que fazem a diferença... são essas pequeninas coisas que adquirem tanta magnitude que ofuscam o todo. depende da alma com que as "olhas"...

:-)***

WildMindMan disse...

A frase não é bem nesse sentido Japonesa :)

Claro que os pormenores são importantíssimos e fundamentais.

Nós todos somos apenas pormenores. É o nosso conjunto que molda a vida.

O sentido da frase vai na perspectiva da nossa caminhada pela vida fora. Descer é sempre bem mais fácil, mas a subida compensa :)

***