quinta-feira, julho 05, 2007

Saudade...

Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de muito grave, para sentirmos tanta saudade...

Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um soco, um pontapé, doem.

Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua!
Dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.

Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.

Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.

Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista, como prometeu.

Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada, se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua preferindo Malzebier, se ela continua preferindo suco, se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados, se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor, se ele continua cantando tão bem, se ela continua detestando o MC Donald's, se ele continua amando, se ela continua a chorar até nas comédias.

Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer. É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por
isso...

É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer.

Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora, depois que acabou de ler...


Miguel Falabella

7 comentários:

Jasmim disse...

E mais palavras para quê...é isso tudo!

Beijinho
Jasmim

Cookie disse...

E pronto pedrinho ..
Lá caiu uma lágrimazita ao ler este texto. (Fiz um post sobre saudade também, hoje)
É que tenho tantas saudades..
Tenho saudades da antiga escola, dos meus amigos, de familiares que estão espalhados pelo país .. pelo mundo.. saudades da minha hamster que morreu (lol) .. saudades de comer melancia até fartar (não farta.. por isso como e como e como..) .. Saudades de ir á praia de noite ..levar papel e caneta ..e deixar a insiração chegar .. Saudades do meu caderno onde escrevi tanto..mas perdi-o..
Saudades de quando os meus pequenos nasceram .. saudades de fazer lutas com o meu irmão ..
Sinto falta de ter um pai .. (pois sinto) .. Faz falta. Saudades da minha psi (tantas) .. saudades tuas! (disse-te hoje ..e senti mesmo saudaditas tuas)
Mas pedrinho de quem mais tenho saudades .. é dele.
Pedrinho e doi =/ e é uma angustia tão grande .. (Não dá pra explicar .. e quem sente percebe..)
E aquela parte .. de estarem os dois ..em divisoes diferentes da casa ..é tao verdade pedrinho .. é assim mesmo.. pelo menos sabem-se lá ..e nao há saudade =)
pedrinho saudades dá pra matar?

Beijo pra ti pedrinho =)*
E outro pro menino * (cheiinho de saudades oh)

E pros restantes ..mile e um beijinhos =)*

Japonesa disse...

odeio sentir saudades. odiei ler este texto. odiei o que me fez sentir ainda mais...

adoro.te umzinho :-))**

Japonesa disse...

... mas sinto saudades... sabes?

kakauzinha disse...

Um

Ah, este Falabella, é um mundo de ideias e sentimentos!

Tocou na ferida de todos nós... saudades...

Eu também tenho... muitas... tantas que doem...

Mas para mim "saudade" é o que sentimos por quem já não está entre nós ou que talvez não possamos rever.

Sentimos "saudades" de quem está longe mas quem sabe talvez um dia voltemos a ver.

Prefiro sentir saudades... ainda não quero que a saudade me diga não ao meu sonho.

Bj.
.*.*.K.*.*.

Anónimo disse...

...Ao ler o texto ,não senti saudade mas voei no tempo,e sorri ao lembrar ...Senti presença ...

Ni disse...

...

Mas que.... 'pontaria'!!!
Já conhecia este texto.... mas lê-lo hoje....

Um colega e grande amigo meu, que é actor, trabalhou com o Miguel Falabella... esteve hospedado em casa dele, uns tempos e diz que ele... é assim. Intenso...uma pessoa simples e profunda. Como são todas as pessoas bonitas e GRANDES na essência, no coração.

Creio que não me engano ao dizer-te que tu és alguém assim... pelo (ainda muito pouco) que li de ti... no que escreves...no que escolhes para partilhar. Sorriso.

Abraço suave

Ni*