sábado, julho 21, 2007

Botox e Silicone










Hoje vi e ouvi na Sic o seguinte: as teenagers italianas pedem implantes de silicone e carros quando acabam o secundário.

A notícia seguiu com comentários cortantes acerca das mulheres nova-iorquinas que aproveitam a hora do almoço para fazer enxertos de Botox (por acaso eram só as do Tio Sam, mas já sabemos que é geral).

Face a este cenário de plásticas diziam ainda que “as mulheres ocidentais não podem criticar a tradição milenar da mulher chinesa de ligar os pés para que não cresçam”.

É verdade que as razões de tal procedimento visam que uma mulher delicada não tenha um pé de Olívia Palito, só que a Olívia pode caminhar livremente, naquele andar cambaleante, sem dores, e as pobres das chinesas andam em passinhos de pintainho, certamente gemendo a cada passo. E só para ter um pezinho de criança?

Não, os implantes ou o Botox regeneram, feitos na base do bom-senso, da quantidade e da qualidade, ao passo que as ligaduras destroem prejudicando a coluna, com repercussões em todo o corpo, ou não são os pés que sustentam toda a nossa estrutura? Uma coisa não tem nada a ver com a outra, se uma tem como fim melhorar, a outra baseia-se em equações erradas e retrógradas… chinesices para esquecer.

Mas porque criticam tanto as mulheres por quererem ter um corpo mais bonito ou minimizar o avanço do tempo? Como já referi, nada do que seja feito com parcimónia, um retoque aqui e ali, não prejudica ninguém, e isto tanto se refere às mulheres como aos homens que, hoje em dia, já se preocupam com a beleza tal e qual como elas.

E afinal porque é que as mulheres, sobretudo elas, consultam tanto os cirurgiões plásticos? Porque vão para o ginásio fazer Pilates e seguem todos os regimes possíveis e imaginários? Por acaso as modelos que desfilam nas passerelles são feias, gordas, têm celulite ou seios imperfeitos? Pois não, na grande maioria têm corpos perfeitos e são bonitas, mas algumas metem medo ao susto parecendo canivetes a cambalear (pelo excesso de magreza, álcool à mistura e ganzas, os bastidores da Moda), embora num número bem mais reduzido.

E os trapinhos Chanel, Dior, Valentino, etc., etc., por acaso são número 50? Claro que qualquer mulher abastada poderá comprar um modelo adequado ao seu volume, pagando a peso de ouro, mas aqui a questão é a da imagem que se transmite, da mensagem implícita de corpos magros, perfeitos, para caberem em cinturas de vespa e decotes que mostram seios mais rijos do que bolas de futebol.

Os homens, são os homens que, queiramos ou não, regem e determinam o conceito da Beleza e da Estética, são eles que estão em maior número como estilistas e cirurgiões, são eles que emitem a mensagem “ Tens de ser magra, perfeita, e siliconada, ou não és in". A sociedade de hoje balança-se entre grandes ditados acerca da pureza da alma por um lado, e do que é in ou out por outro, contradições humanas. Depois as pobrezinhas das meninas vão nestas máximas e vá de bulimia e anorexia que acaba muitas vezes numa viagem para Nenhures City onde não precisarão de se preocupar mais com balanças, trapos e estéticas.

A cirurgia plástica pode ser muito útil, sobretudo a reconstrutiva, não é um pecado corrigir o que mais nos desgosta, sempre dentro de uma certa lógica, mas também não é ter a minha idade e querer ter um rosto e um corpo de vinte e depois parecer uma figura de cera do Grévin ou do Madame Tussaud. O que nós mulheres precisamos é não deixarmos que a Moda nos escravize, que o in e o out se tornem em palavras de ordem e, sobretudo, não deixarmos que os homens nos prendam numa lista de conceitos nascidos do seu próprio egoísmo e da sua vontade de ter bonecas em vez de mulheres imperfeitas e verdadeiras em todos os sentidos.

Que me desculpem os queridos meninos que fazem parte deste blog, e os que o lêem também, isto não é uma crítica que vos vise em particular, mas a realidade é mesmo assim. A grande maioria dos homens está-se borrifando para as qualidades das mulheres, querem lá saber se somos boas pessoas ou não, querem é que sejamos… boas, mas mesmo muita boas! Até podem encontrar uma mulher impecável mas cuja beleza física deixa muito a desejar, essa fica para amiga, ali na prateleira, as outras, as siliconadas e retocadas, as sílfides de calções a desvelar as nádegas e mini-saias até ao pescoço, as de decote até ao umbigo que revelam a dureza lapidada do implante, essas são as boas para desfilar, muito in e muito fashion… os diamantes em bruto ficam out.

Se um dia puder faço uns retoques, apenas retoques, só para mim, só para meu prazer absoluto. Mas se não os fizer vou continuar a viver calmamente com as minhas imperfeições e pouco ralada se os homens gostam ou não, sem me preocupar por não ser muita boa… boazona e afins.

What you see… is what you get!








7 comentários:

Japonesa disse...

eu, quando souber que vou poder conseguir ver o meu chevalier des étoils vou fazer isso tudo tb! vou ficar perfeita! kal boneca de silicone da mais alta gama!!!!!

isso dos peses é que vai ser bico d'obra... mas compensa-se com uma dose massiça de sedução... ele nem vai reparar no 38 do meu pézito!!!

tou quase rica!!!!!! falta-me dois danoninhos pra ficar perfeita ehehehehe

:) *****

Stefanie* disse...

Epah... como posso eu dizer isto? ( risos ) silicone eu não preciso... tenho herança de familia... eheh mas de resto .. ah até podia fazer uns retoques ... risos

mas é deprimente como hoje em dia as mulheres querem mudar o seu " corpo" será que nós não vimos que cada uma tem a sua beleza ?! ah pois é... pelo facto de sermos mulheres ja somos lindas... ehehe ( e viva as girl's )

mas prontos... que se pode fazer... se mudarem para se sentirem melhor com elas próprias... isso sim concordo... agora para mostrar aos outros acho uma tremenda estupidez mesmo...

( vou fazer uma lipo-espiraçao... risos )

beijinhos =)**

WildMindMan disse...

Isso de dizer que os homens é que têm a culpa ... penso eu que é "simplificar" um pouco as coisas ;)

Então e o vice-versa também não é verdade?

Não sou contra o Botox nem contra o Silicone desde que na medida certa.

Esse conceito de "estar in" que referes é algo de supérfluo que, a meu ver, é muito diferente do "estar bem comigo mesmo e sentir-me bem nas relações com outras pessoas".

Sim, claro, o aspecto físico conta, mas daí até dizer que nós ou elas vão parar à prateleira, vai uma distância muito grande.

Não acredito que a grande maioria dos homens ou mulheres pensem dessa forma.

Normalmente costumo dizer que nós homens é que somos o sexo fraco. Não o digo em tom de brincadeira e muito menos num tom paternalista. Digo-o porque de facto tenho a percepção que é assim. Porquê? ... isso agora daria para umas páginas largas ... fica para outra oportunidade.

Resumindo, penso que a "culpa" é de nós todos assim como a solução para o problema.

Cabe-nos, através dos actos e das palavras, tentar mudar alguns conceitos e mentalidades mais exageradas.

Um Beijinho GRANDE para ti Amiga.

:))*********

Japonesa disse...

a cupla é do governo!!! este governo desgovernado... a culpa é do nosso primeiro e mai nada...

(vou aparecer nas noticias brevemente)

há liberdade de expressão??? ou isso é segredo de estado?

:-) eheheheheheh (o preço da fama é vil)

vidas passadas disse...

kakauzinha!!!!!Nao gostam? passa afrente atraz vem gente! Eskece essa gente louca de dá pelo nome de "homem" se gosta gosta, se nao gosta, não sabe o k perde! Uma mulher bela e inteligente por dentro: è Isso k és. Eles nem estõa perto disso. Kual botox?kual cilicone? olha, kem me ve, gosta, mas ninguem sabe k tenho as mamas descaidas. ehehe. serio e tou a borrifar-me. Pensas k vou por silicone?in your dreams. para isso eles tinham de ter um cerebro novo. Kakau!!!!!!ès linda. beijos. Eskece o cilicone! O botox!

Renascence

Anita disse...

ja tentei de tudo, vou me casar, ms qero parecer elegante e confiante no meu casamento, tenho 90 kilos e qero casar me apenas com 50 kilos, alguem me ajude .. deusa1986@hotmail.com
obs. nao tenho dinheiro, ms faco qualqer coisa ...

Anita disse...

i wnt 2