sexta-feira, julho 13, 2007

Distúrbio de Personalidade Dissocial (Sociopatia)


Chamado, pelo autores franceses, de "insanité sans délire" (insanidade sem delírio) ou, pelos alemães, de "insanidade moral". O termo descreve indivíduos com marcado egocentrismo que não têm deferência normal pelas outras pessoas, manipulando-as, como quer seja necessário, para atingir seus objectivos. Suas armas são o charme, a sedução, a intimidação e a violência, usadas, assim, progressivamente, de modo cada vez menos subtil, no caso de as outras pessoas não se comportarem da maneira como o sociopata quer.

Existem graus muito variados de distúrbio de personalidade, que vão desde a pessoa considerada apenas "chata", "inconveniente", "patologicamente egocêntrica", até os casos de matadores e estupradores em série, passando por viciados, traficantes e sequestradores, todos eles muito pouco preocupados com o bem-estar da sociedade.

Algumas pessoas consideram, erroneamente, o distúrbio de personalidade dissocial apenas como doença, quando, na verdade, nada é, também, mais próximo do conceito mais puro de "crime", pois o sociopata tem plena consciência e entendimento dos erros que comete. Existe, actualmente, um movimento nos meios jurídicos da Inglaterra no sentido de enfatizar o dano à sociedade que é tolerar esses indivíduos anormais, mesmo nos casos, muito frequentes, em que a Justiça ainda não consegue caracterizar, formalmente, seus crimes e comportamento habitual altamente lesivo aos demais (Kendell RE, 2002).

Os sociopatas portadores de distúrbio de personalidade dissocial (frequentemente chamados de "psicopatas", em sentido estreito) são exímios simuladores e manipuladores, conseguindo enganar mesmo alguns dos melhores peritos e escapar de promotores e juízes severos.
(...)
O sociopata não é uma pessoa absolutamente insensível, mas sensível apenas a seus próprios sentimentos, desejos e necessidades, como se não enxergasse, no outro, um ser humano, a quem deveria alguma consideração e respeito intrínsecos. Os meios (e as pessoas) utilizadas para atingir seus objectivos parecem-lhe pouco importantes. Não têm noção de ética.
Por outro lado, consegue simular, perfeitamente, uma pretensa emoção, sentimento por outras pessoas, quando assim lhe convém.

O distúrbio de personalidade dissocial não tem tratamento. Os portadores nem, sequer, sofrem com seu distúrbio, mas causam imenso e profundo transtorno às outras pessoas. Há, frequentemente, necessidade, mais ou menos imperiosa, de serem afastados do convívio da sociedade (cadeia ou manicómio judiciário), para bem desta.

Filhos de sociopatas são suas maiores vítimas, condenados a uma vida de sofrimento, violência, privação e punição injustificada e continuada, ao mesmo tempo em que esses pais sociopatas são capazes de exibir, para a sociedade, uma perfeita mas falsa imagem de pais dedicados e zelosos para com seus filhos, uma falsa imagem de "bons cidadãos", de cidadãos pacatos.

O sociopata leva uma vida dupla: mantém uma aparência e actividades cotidianas normais, mas essa imagem não corresponde à sua realidade íntima, anormal, doentia, que só é revelada a suas vítimas, quando estão indefesas.

Características do comportamento de sociopatas:
1) Atitudes impulsivas, incontroláveis;
2) Frieza, insensibilidade com relação às outras pessoas (ausência de piedade, compaixão e altruísmo);
3) Ausência de valores morais ("éticos");
4) Agem como se estivessem acima das leis e da sociedade;
5) Ausência de sentimento de culpa ou remorso;
6) Covardia (só praticam o delito com a certeza de a vítima não poder reagir);
7) Frequentemente, age por motivação sexual;
8) Suas atitudes seguem uma lógica própria;
9) Obtém prazer através da violência;
10) Inteligência normal ou acima da média;
11) Ausência de delírio e alucinação;
12) Conhecem e usam com habilidade as brechas da Lei;
13) Mitomania (grande habilidade para mentir, forjar situações, convencer pessoas a acreditar no que não é verdadeiro);
14) Manipulação (habilidade de induzir as pessoas a fazer o que o sociopata quer, através da mentira, insinuação, produção de falsas "provas", sedução, intimidação, ameaça, violência).

retirado do artigo seguinte:
http://paginas.terra.com.br/saude/medicinahumana/mental/personal.htm#adicional

6 comentários:

Anónimo disse...

<---- sociopatico eu...

(um dos meus sonhos era trajar botas da tropa, calças militares pretas... uma camisa branca com duas alças nos ombros e uma fita negra no braço direito e o cabelo à zé dos milhos)

um

mysticdream disse...

Taditos dos sociopatas...snifff ,é chumbo no rabo e já está ehehe...*

Um Momento... disse...

Opah
Hoje na li nada
Venho trazer bolo e champagnhe para todos
Um beijo enorme bem aí
Da Vi@leta

Grande
Mu@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Bem Hajam por existirem (*)

Japonesa disse...

querida violet@, desejo.te um feliz aniversário. obrigada pelo champagne e pelo bolinho. uma delicia....

felicidades :-)*****

Drakallis disse...

Sinto-me estranhamente reflectido no artigo...

Japonesa disse...

Chainer... para ti farei um post. mesmo só para ti. e tb para mim. e aposto em como para mtas outras pessoas mais silenciosasm ou até desconhecedoras de si mesmas.

e falarei sem pudor. desta sorte, sem ir buscar fontes cientificas ou empiricas exteriores.

Chainer :-))**** nem tudo é o que parece. embora a maior parte das coisas não sejam nada mais do que de facto aparentam.