domingo, maio 20, 2007

pegando no principio do pensamento profundo...



pensamento profundo é aquele que me faz reagir quando penso em tantas pessoas que se sabem, que finalmente até se aprenderam, que sabem o caminho para se aperfeiçoarem, mas decidem deambular única e exclusivamente por aquele que estava tão recôndito dentro de si (e que é suposto assim continuar, nesse lugar recôndito).

quando se envereda por caminhos que buscam entender o mais intimo do ser e se verifica que depois de se descobrir a dor, esta é viciante, que depois da primeira dor profunda, a busca por dores ainda mais profundas é inevitável, e quando se sabe que isso deixa de ser saudável e é até impeditivo de se conseguir alcançar a liberdade de uma forma diferente daquela em que a morte é a solução única para a libertação da dor última, o retorno parece praticamente impossível.

há que ter atenção e extremo cuidado quando se entra em escalpelização dos sentidos e racionalização de todos os sentimentos. o caminho diferente da morte para essa libertação existe. basta aceitar que as coisas são porque são e que não precisam de razões para o ser. basta que nos aceitemos como seres basicamente simples e cuja liberdade se atinge unicamente dentro dessas premissas: as da essência, da simplicidade nua e pura. e que complicar, apenas nos afasta terrivelmente do nirvana.

e entender também que a capacidade de raciocínio do ser humano pode e deve de ser canalizada para conviver em harmonia com o lado sensorial, e não em eterna competição. quem vive em eterna competição é aquele que se coloca na vida como se esta de um jogo se tratasse. sendo que se assim for, o adversário maior e único é aquele que mais pureza encerra: a própria natureza. e quando tu julgas que estás a jogar, estás de facto única e simplesmente a tentar adiar a tua derrota, esta sim, inevitável. uma luta inglória para aqueles que julgam ser exímios jogadores. e uma perda de energias, quando estas poderiam ser simplesmente canalizadas para um estádio de harmonia.

(ainda gostava de saber se alguém entendeu algo do que eu quis dizer, mas se não entendeu se calhar é porque acabei por complicar tudo, aposto.)

:-)

Like the sound of silence calling
I hear your voice and suddenly I'm falling
lost in a dream

...

when you say you love me
the world go still, so still and silente...
when you say you love me
in a moment I know that I'm alive

...

8 comentários:

Anónimo disse...

Biliões, ao longo dos tempos, levam uma vida banal... de pura procriação e imitação dos demais. Esses não serão recordados.
Outros, poucos, quase nenhuns, deixam marca registada que outros recordam depois.
É sempre mais fácil imitar.. é sempre mais difícil criar.
Dos que criam, esses viverão sempre à margem do sistema. É impossível criam e andar no rebanho... quem cria, será sempre aquela ovelha que se perde... que vai por caminhos diferentes...

um

Japonesa disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhh! então eu não compliquei nada.

tu sabes-me tanto que até mete pavor.

tanto, tanto...

:-))******

LadyDelish disse...

Oh Nesa ..

Gosto tanto de ti

Obrigada *

xikitita disse...

Japonesa...
Li tudo ... tudinho, tal como te disse na nossa conversa.
Lindo e profundo! Nada que não estivesse à espera de ler. E é tudo verdade, até encontrarmos o verdadeiro AMOR, para depois conseguirmos alcançar a "liberdade" ... mas infelizmente muitos de nós peredmo-nos no caminho agreste da vida.
Um grande beijinho e um xi-coração apertadinho da Angolana (amiga da kakauzinha)

izanagi disse...

Nego,nego aceitar que a vida é só isto,Nao quero jogos,nem estas regras,já agora...quem ditou as regras?!!Crio,sou diferente e pago o meu preço,aliás tenho-o pago desde que decidi "ser diferente",se compensa?Um dia saberei responder e contigo partilharei a resposta,farto de estar farto como sabes...Mais importante é termos outros com quem nos identificamos,e sabes que eu entendo-te e tu a mim.

=))

Japonesa disse...

xikitita obrigada... gostei mto de ter trocado aquelas ideias ontem. é bom saber que falamos e temos um eco do outro lado.
obrigada pelas palavras. espero ter oportunidades muitas de falarmos mais vezes.
:-)***

*************************************

izanagi, meu bom amigo. obrigada pelas palavras. sim, nós sabemos do que falamos. se vale a pena? veremos os dois, sim. e um dia, juntos, falaremos longamente sobre isto e tanto mais, tanto mais que ainda falta... e que esquecemos.

gosto de ti... mas isso já sabes.

:-) ***

WildMindMan disse...

Eu não entendi nada do que escreveste.

Mas percebi tudo o que disseste.

Claro que complicaste.

Mas se não o tivesses feito, eu não teria entendido o que querias dizer.

Lembras-te de uma nossa "velha" discussão acerca de defeitos?

Pois é ...

Eu tinha razão :)

Wild jinhos em tu ***********
e um xicoração apertadinho :)

Japonesa disse...

pois... então foi uma complicação necessária :-)


lembro, lembro... de tudo.

beijos mto wild ***