sábado, maio 05, 2007

para ti um2 •••••••


Beyond the horizon of the place we lived when we were young
In a world of magnets and miracles
Our thoughts strayed constantly and without boundary
The ringing of the division bell had begun
Along the long road and on down the causeway
Do they still meet there by the cut
There was a ragged man that followed in our footsteps
Running before time took our dreams away
Leaving the myriad small creatures, trying to tie us to the ground
To a life consumed by slow decay

The grass was greener,
The light was brighter,
With friends surrounded,
The nights of wonder

Looking beyond the embers of bridges glowing behind us
To a glimpse of how green it was on the other side
Steps taken forwards, but sleepwalking back again
Dragged by the force of some inner tide
At a higher altitude with flag unfurled
We reached the dizzy heights of that dreamed of world

****

Encumbered forever by desire and ambition
There's a hunger still unsatisfied
Our weary eyes still stray to the horizon
go down this road we've been so many times

The grass was greener,
The light was brighter,
The taste was sweeter,
The nights of wonder,
With friends surrounded,
The dawn mist glowing,
The water flowing,
The endless river...

Forever and ever...
"Hey, is that Charlie? yes... Hello Charlie... great"


hoje chorei quando me mandaste a sms sabes... pois foi. eu hoje revivi em apenas tão poucas palavras tudo o que me fizeste sentir por ti, por mim e pelos outros. e tu nem sabes disso, talvez, ou sabes, porque me sentes de uma forma inexplicável, que eu sei.

lembro de como entrei como um furacão e tu gostaste. depois pegaste em mim, pela minha mão, e não me largaste... viste-me deslocada num local de desamparo e foste tu quem me abriu uma porta. e eu deixei... depois entrei e tu deste-me as boas vindas e tornaste tudo tão confortável. trouxeste amigos para casa para eu me distrair e sorrir (sorriste comigo). ficavas na biblioteca a ler uns livros, a ouvir umas musicas, enquanto me sentias sair à rua pra comprar os pastéis de oleo e depois me sentar em frente à tela com este meu ar sereno, tentando entender. vias-me quieta, imóvel, a olhar para as cores, sem saber em qual pegar primeiro... e depois em quais misturar. de vez em quando contavas-me uma passagem dum livro ou uma noticia dos jornais, para eu não estar tão abstraida do que se passa no mundo... e ouvias-me: eu uma tagarela, tu a rires; eu nos meus silêncios e tu a escutares...

foste de férias e eu fiquei sozinha. eu liguei-te, com saudades, e tu disseste que tinha que fazer mais amigos para não estar tão dependente. e eu entendi que também tu tinhas os teus amigos e que tinhas que lhes dedicar mais tempo agora.

quando me dizes que somos como "irmões" eu sinto exactamente isso. e lamento que não o sejamos desde que nascemos. mas estou feliz por saber que tu existes e que nos encontramos os dois, lado a lado, no mesmo trilho. e tu olhas para mim e dás-me confiança... e eu olho para ti e sorrio.

Pedro, tu és LINDO. e eu, de facto, sinto uma enorme ternura por ti e sei que só podemos ser irmãos. porque irmãos é isto: é sentirmos que somos amigos mas que, para além disso, corre nas nossas almas o mesmo tipo de sangue que só é compatível com aqueles que têm génes da mesma essência.

deixo-te o meu beijo especial, com ternuras de seda das nuvens e um repenicadinho de pó de estrelas cadentes :-)

p.s. e um apalpão nesse rabo bom (risos)

4 comentários:

LadyDelish disse...

Serei eu assim tao sensivel ao ponto de ficar emocionada com este texto?

Xiça penico ..

Senti tudo..

Tao lindo Nesa =')


Beijinhos *

kusses pra ti pedrinho querido da juzinha =))*

um_2 disse...

nesa.. não me vou alongar em palavras.

fica tudo!

:))) *

Japonesa disse...

eu sei :-)) *****

♥Princess♥Fabiana♥ disse...

Lindissima esta homenagem :)))
é tao bom quando assim é ...
Bjo Fabi***