quarta-feira, janeiro 17, 2007

like dust to life ....



Ela e a Amiga entram num bar. 1:00 da madrugada. o bar está cheio. usa roupa simples mas elegante, pouca maquilhagem, ar descontraido, rosto inexpressivo... a amiga da mesma forma, um pouco mais exuberante na forma de estar, um sorriso rasgado. eles olham. elas tb, mas desviam rapidamente as atenções. sempre avontade, com ar descontraido procuram uma mesa para se sentarem. sorriem e brincam com palavras. comentam o ambiente, a musica e o que vão tomar. Ela está mto bem disposta e prefere beber uma cerveja (que n toma há muito tempo); a Amiga o de sempre: whisky com cola. Ela olha distraidamente para as figuras do bar. entende os olhares e os comentários, alguns velados, outros espelhados nas expressões habituais: “mais duas gajas à morte, provavelmente à procura de quem as monte.” esboça um esgar de desdém, é inevitável.

a música é boa, mas o som o de sempre: demasiado distorcido ou alto, uma tortura para ouvidos sensíveis e exigentes. nada disso importa. querem distrair-se, falar de banalidades, olhar os homens e fazer comentários lascívos que as divertem. e rir, rir muito.

Afinal é noite de karaoke, por isso o bar está tão cheio. O animador é divertido e as pessoas que vão cantar ... fazem-nos rir ainda mais. estão bem. olha: está ali a sandra, o miguel, a cristina... que surpresa. vêm falar-lhes. falam dos amores e desamores... o normal.

Ela dança. adora esta musica rock que o animador (conhecido da Amiga) passa agora. o animador gosta de ver o ar de divertimento das duas e aproxima-se mais puxando o ambiente, provocando ainda mais sorrisos. eles olham. elas também.

a Amiga está agora entretida a falar com um amigo. Ela repara num homem de aspecto agradável. já tinha cantado e a sua voz e sensibilidade velada chamaram a sua atenção. o seu rosto era interessante e, apesar do avontade e descontração junto dos amigos, denotou uma certa nostalgia nos momentos de silêncio, nas pausas naturais que fazia, nos olhares. Ele é sereno e o seu rosto espelha uma personalidade vincada. Ela gosta disso. pensa: alguém interessante com quem conversar.

Ele passa junto à sua mesa, olha-a, sorri discretamente, um sorriso espontâneo e descontraido, e senta-se sozinho numa mesa contigua. Ela fica a observar. Ele tem um copo de whisky na mesa e ao lado uma garrafa de água. Ele retira os óculos do bolso do blusão, limpa-os serenamente (tudo com um ar muito descontraido e como que fazendo parte de um comportamento habitual) coloca-os no rosto, olha em frente, retira-os e volta a guardá-los no bolso de novo... Ela acha graça e não se contém. aproxima-se e diz em ar de brincadeira: “não vale a pena não é? afinal mesmo com os óculos continuas a não ver nada.” e dá uma garagalhada. Ele acha graça também e ri-se. começam a conversar. não perguntam os nomes ou o que fazem. falam de formas de estar, de formas de ver a vida. Ela diz que está convencida que o conhece de algum lado mas não consegue de facto entender de onde. falam dos locais que frequentam. onde viveram. o que estudaram. chegam à conclusão que saber de onde se conhecem não tem qualquer importância. continuam a falar de assuntos que interessam aos dois, mas em ar sempre muito descontraido. há um momento em que se olham e apenas sorriem.

De repente a amiga interrompe a conversa e dirige-se a ele: “olha, desculpa lá, mas eu e o meu amigo estavamos aqui a teimar e gostavamos de saber quem tem razão.” ele, educado olha a amiga e diz “o que se passa então?”. a Amiga ri-se divertida e continua “queriamos saber o que tu fazes na vida. eu digo que tu és arquitecto e o meu amigo diz que deves de ser engenheiro de moldes. quem é que tem razão?”

Ela olha para o chão quando vê o ar de surpresa no rosto dele. mas resolve interferir dizendo “perderam os dois. agora têm que nos pagar uma bebida a nós.” (... mesmo não sabendo o que Ele faz...) mas a Amiga não desiste e insiste em saber a resposta... Ele fica incomodado (Ela repara nisso) mas tem a atitude esperada, de extrema educação. diz “sou dono de uma empresa e sou o presidente do conselho de administração.” em tom de terminus de conversa dirige-se a Ela com um sorriso cúmplice, levando a bebida à boca. Ela acha graça e retribui. mudam de tema e continuam a conversa que estavam a ter antes, mas já sem tanto avontade agora.

de novo a Amiga resolve intervir: “olha agora tens que nos confirmar outra coisa. que carro conduzes tu?” desta vez Ele faz um ar de ainda maior supresa. a Amiga diz “um BMW, só pode.” Ela, para amenizar diz “um Audi A4 aposto!!!” e faz um sorriso rasgado de aparente divertimento. Ele responde “acertaste tu. é um Audi A4 descapotável.”

elas riem e dizem que ele está a brincar. agora Ela está nervosa e decepcionada e resolve acabar com a situação duma vez por todas. (é o habitual). diz então em ar um pouco agressivo mas directo: “agora faço eu a pergunta que deveria ter sido feito logo de incicio: és casado??” Ele olha-a incisivamente e responde: “sou.” Ela apenas diz fixando o seu olhar “como é óbvio todos os homens interessantes são já casados.”

Ele faz o esperado. dá uma volta decidida e volta para junto dos amigos.

o resto da noite decorre normalmente, animada, exageradamente animada agora...

hora de saída. o amigo leva a Amiga a casa. pagam. não sem antes ela ser detida pelos amigos dEle e, efusivamente, ser elogiada. Há um que a abraça e lhe diz piropos ao ouvido. Ela ri-se com uma grande gargalhada por se lembrar dum aspecto hilariante: alguém lhe contou um dia que ele tinha um enorme pénis. foi um amigo comum que relatou o facto de o saber por ele costumar filmar com o telemovel o acto sexual com raparigas quando as penetrava por detrás...

agora de novo aquele ar inexpressivo no rosto... dirige-se finalmente ao seu carro e vai para casa.

no dia seguinte a Amiga diz animada: “viste que afinal Ele sempre tinha um A4 descapotável? estava estacionado em frente ao bar. ganda maquinão!” Ela diz “não. não vi.” a Amiga fica estupefacta “não podes ter deixado de ver! estava mesmo à frente.... és cega tu?”

2 comentários:

Anónimo disse...

pk escolhes ser cega................
pk insiste nessa escolha............

............já sei,,, descapotável com este tempo não tá com nada ;):).......


kiss
lil

Japonesa disse...

lil querida amiga: como eu sei... e que tonta sou não é? ... :-))


adoro-te (tu sabes) ****************