quarta-feira, abril 18, 2007

nos dias em que acordamos mais um pouco e encontramos algo que faz sentido



Acordei para mais um dia como tantos outros. Dias infindáveis, cheios de tanta aprendizagem, de tantas coisas impressas nas minhas células, que de alguma forma se mantêm vivas, autónomas. Vivem em micro comunidades dentro do meu corpo. E por muito que eu queira controlá-las, não sou eu quem as controla de facto. É uma forma de simbiose.

Inevitavelmente, e porque não consigo estar acordada de outra forma, tento racionalizar todos os meus pensamentos, todas as minhas atitudes, todas as minhas falhas de carácter. Todas as minhas virtudes e todas as lacunas, lugares vazios que não consigo sentir mais. Talvez jamais esses espaços algum dia serão preenchidos. E, se forem, aposto em como não vou ser apenas eu a responsável por isso. E se não sou apenas eu a responsável, vou deixar ao acaso, às capacidades de auto-preservação que os organismos encontram para se equilibrarem e continuarem na sua luta pela sobrevivência. Uma luta compulsiva e, se calhar, até obsessiva. Quase tão obsessiva quanto a consciência constante de que o contrário disso será a morte, o vácuo, o nada.


Imagino que um dia vou encontrar uma pessoa quase perfeita. Uma pessoa com uma simbiose dinâmica, viva, constante na sua renovação. Uma pessoa inteligente, feliz, sorridente, serena, com carácter bem definido e uma forma de estar na vida desenvolta. Uma pessoa sem medos, sem exageros, sem falhas, sem preconceitos, sem expectativas em relação ao seu próximo... enfim: um exemplo a seguir. E nessa altura, eu vou conseguir olhar-me ao espelho e não ver apenas pedaços partidos que deformam tudo e impedem de ver o lado de lá da minha vida.

E nessa altura, quando me disserem que tenho uma personalidade desassociada, ou me disserem que tenho o defeito de ter que justificar todos os meus actos e todas as minhas definições... e quando me perguntarem se eu de facto acredito em tudo o que eu digo (como se houvesse alguma dúvida)... e quando me disserem que eu sou uma pessoa demasiado evoluída para conseguir ser feliz no que se define como natural no mundo em que vivemos... e quando me disserem que sou demasiado fria e orgulhosa... e quando me disserem que a minha atitude perante a morte é cruel, de tão insensível que é... e quando me disserem que são melhores que eu, porque elas dizem e fazem, mas eu por muito que diga, jamais farei tão bem quanto elas... e quando me disserem que tudo o que tenho de nada me serve, porque basta elas chegarem perto do que eu consegui para mo retirarem num ápice (e ficarem a olhar pra mim com um sorriso de vitoria e felicidade)... e quando me disserem que eu estou toda errada e que elas é que estão certas... e quando me disserem que eu tenho que estar com elas para lhes dar prazer e terei, obrigatoriamente, que me sentir feliz apenas por isso... e quando me disserem que serão apenas minhas amigas enquanto eu lhes der o que lhes dá prazer... quando me disserem que sou apenas aquilo que elas quiserem que eu seja... eu digo:

vão todas pra puta que vos pariu! vão todas ser felizes, mas longe de mim! vão pró raio que vos parta! vão-se foder todos uns aos outros, mas longe de mim!

Eu, ao pé de mim, só quero pessoas maiores que eu. Não me darei jamais a quem não me quer de facto.

E sorrio. Mesmo sem me ver inteira ao espelho ainda, eu sorrio. E estou serena.

Tu que me acompanhaste durante este ano inteiro, de uma forma nada ortodoxa ou fácil de definir sequer, és uma dessas pessoas João. És aquela parte do espelho em que eu ainda consigo ver alguma coisa. Algo que outras pessoas definem com palavras de escárnio e maldizer e que jamais entenderão. Talvez seja por isso que preciso de te ter por perto. Ou, pelo menos, sentir que existes. A ti, mais do que tantas outras pessoas com quem privo e se recusam a aceitar-me, porque simplesmente nem me vêem. E isso, de uma qualquer forma indescritível, é agradável e faz-me ter um sorriso na alma.

10 comentários:

WildMindMan disse...

Se alguma vez me dissessem coisas das que descreves ... eu mandava-os para um sítio ainda pior.

Nunca percas as tuas ideias, vontades, definições e sonhos. São eles que te definem e o resto não interessa nada.

Força Amiga :)****

um_2 disse...

A magia da vida está em nós... e na probalilidade de nos cruzamos com seres especiais. Há quem nunca se cruze com eles, há quem se cruze, mas eles escapam-se.

(esta vida nem sempre é uma escolha)

nesa ****

Dama__coOkie disse...

Es especial Nesa.


Es sim =)


(Amei)

Beijo*

John Lemmos disse...

Impressionante.
Nunca imaginei que houvesse pessoas assim... (sentia-me desacompanhado) afinal elas existem.
ADOREI JAPONESA.
**beijos**

solrac

consciente disse...

Primeiro, essas pessoas que tanto criticam,que se acham com a razão de criticar não olham para o próprio eu,esquecem-se da sua própria realidade...ou fazem por esquecer,quem pensa que pode mudar,a essência de alguem,quem pensa que pode julgar alguém por palavras, ou actos, apenas se julga a si mesmo... o melhor é deixar essas pessoas pensarem que pensam...Beijos para ti Japonesa linda...*

Just disse...

Palavras para que?

Ha tanto tempo que vias...imovel...

Beijinho.

Japonesa disse...

obrigada pelas palavras doces... a todos...

mas não se trata tanto das coisas que são ditas, mas mais, muito mais, das que são ouvidas (será que me faço entender?)...

e trata-se da escolha, que nem sempre nós podemos fazer, mas que de tanto querermos, nos obriga a seguir aperreados, presos pelas barras das saias, das mangas das camisolas. lá sacudimos, lá empurramos, lá fazemos força em frente mas rais partam... não nos largam.

Wildmindman, um_2, daminha, consciente... uns queridos. obrigada ****
john lemmos gostei de te ler por cá. obrigada *****

noite de saudade disse...

"vão todas pra puta que vos pariu! vão todas ser felizes, mas longe de mim! vão pró raio que vos parta! vão-se foder todos uns aos outros, mas longe de mim!
Eu, ao pé de mim, só quero pessoas maiores que eu. Não me darei jamais a quem não me quer de facto.
E sorrio. Mesmo sem me ver inteira ao espelho ainda, eu sorrio. E estou serena.

Que posso eu dizer mais? Tu já disseste tudo... para quê ter alguém ao pé de nós, se a única coisa que faz é criticar tudo o que fazemos, rir-se quando estamos no fundo do poço e não fazer nada para nos ver sorrir, ou pior ajuda na estadia lá em "baixo"?
Sê tu mesma, vive para ti e para quem amas, porque a vida são 2 dias, vive a vida sempre com um sorriso nos lábios, embora por vezes seja difícil manter esse sorriso...e venha quem vier, nunca te dês por vencida, por muito grande que seja o obstáculo!

Beijos, e nunca deixes de ser como és!

Japonesa disse...

Just, oh Just minha querida...

tu sabes-me tão bem. porque estás tão longe? hã? tenho tantas saudades tuas.

abraça-me e dá-me um beijinho anda, que eu preciso tanto!
:-)****

Japonesa disse...

noite de saudade querida ... obrigada pelas palavras :-)

e pronto, eu com mais um sorriso na cara... que dizer mais?

beijos doces e tudo de bom para ti, é o que desejo, do meu coração.

:-))

p.s. ah! e obrigada, mais uma vez ...